Tom Jobim é o novo homenageado do projeto “Desenhando com os Gênios da MPB”

Tom Jobim é o novo homenageado do projeto
Tom Jobim é o novo homenageado do projeto "Desenhando com os Gênios da MPB"(Foto:Tom Jobim - Ary Salles (2)).

Maestro Tom Jobim

O maestro Antônio (Tom) Carlos Brasileiro de Almeida Jobim era o típico “carioca da gema”.  Nasceu no bairro da Tijuca, no dia 25 de janeiro de 1927. No ano seguinte a família mudou-se para Ipanema, onde foi criado.

Tom tocava em bares e boates de Copacabana, como no tradicional Beco das Garrafas, no início de 1950. Fez parte do núcleo embrionário da bossa nova, onde a orquestração é considerada um marco inaugural do movimento, pela originalidade das melodias e harmonias.

Músicas conhecidas de sua obra como Garota de Ipanema’, ‘Águas de março’, ‘Corcovado’ e ‘Samba do avião’, serviram de inspiração para os artistas plásticos, Ary Salles e Eduardo Bittencourt criarem as 20 telas que compõem a exposição de maio, do projeto ‘Desenhando com os gênios da MPB’. O evento fica no Riopreto Shopping de 24 de maio a 03 de junho.

Tom foi um dos destaques do Festival de Bossa Nova do Carnegie Hall, em Nova York, em 1962.  No ano seguinte compôs, com Vinícius de Moraes, um dos maiores sucessos e, possivelmente, a canção brasileira mais executada no exterior: Garota de Ipanema.

O maestro fez muito sucesso fora do Brasil e, em 1967, voltou aos Estados Unidos para gravar, com Frank Sinatra.  É reconhecida a influência de Debussy e Ravel na música do maestro Antônio Carlos Jobim.

Admirador e influenciado por Villa Lobos e Ary Barroso, Jobim também estudou as obras de eruditos como Radamés Gnatalli e Guerra Peixe. Matita Perê e Urubu, lançados na década de 1970 marcam a aliança entre sua sofisticação harmônica e sua qualidade de letrista.

Dentre os sucessos de Tom Jobim destacam-se: Garota de Ipanema; Corcovado; Desafinado; Chega de Saudade; Wave; Água de beber; Águas de março; Inútil paisagem; Meditação; Samba do Avião; Só danço samba; Falando de Amor; A Felicidade; Brasil; Só tinha que ser com você; Se todos fossem iguais a você; Soneto da Separação; Anos Dourados; e Pela luz dos olhos teus.

Sobre os artistas plásticos

Ary

Ary Salles artista plástico há 35 anos.  Iniciou na arte académica usando a técnica da pintura à óleo.  Seus quadros foram distribuídos em São Paulo e Rio de Janeiro através de marchando e leiloeiros.

Possui quadros em quase todos os estados brasileiros, incluindo Brasília (DF), onde realizou algumas exposições individuais.  Conta também com vários trabalhos distribuídos no exterior como Estados Unidos, Portugal, Itália e Inglaterra.

Tom Jobim - Ary Salles.
Tom Jobim – Ary Salles.

Durante sua trajetória artística desenvolveu outras técnicas e estilo na sua pintura. Hoje trabalha os estilos Pop Art, o abstracionismo e o acadêmico procurando manter um trabalho de cunho contemporâneo.

Além de produzir seu trabalho divide seu tempo ministrando aulas de pintura semanalmente.

Ary comenta que se sentiu honrado em ter sido convidado para participar do projeto ‘Desenhando com os gênios da MPB’. “Tive a sorte e a responsabilidade de homenagear o grande mestre e ícone maior da nossa música popular que foi, é e sempre será Tom Jobim! Pesquisar e relembrar toda sua discografia foi muito gratificante. Passar isso para as telas foi um prazer maior ainda. Uma experiência que só acrescentará valores à minha carreira”.

Eduardo

A frase do cantor e compositor Tom Jobim, “Eu sou apenas um pobre amador apaixonado, um aprendiz do teu amor”, ficou estampada no atelier do artista durante todo o processo criativo da série.

Para a criação das obras o artista buscou inspiração nas técnicas e obras da coleção Mugrabi, de Jean Michael Basquiat, que estiveram em cartaz em São Paulo, CCBB, no primeiro semestre de 2018, e ainda contou com a sua paixão pela cidade do Rio de Janeiro, a qual o “lançou” no mundo das artes.

TOM POR EDUARDO BITTENCOURT OBRA 03
TOM POR EDUARDO BITTENCOURT OBRA 03.

Diante de pinceladas “tortas” a junção das cores, das nuances de pessoas e lugares poetizados por Tom, as obras carregam o brilho de folhas de ouro representando o “brilho do sol” que paira dia após dia na cidade maravilhosa.

Eduardo Bittencourt buscou inspiração em grandes clássicos do maestro, como Garota de Ipanema, Sobre a Luz dos Olhos seus, Águas de março, dentre outras.

A série é exclusiva para o projeto “Desenhando com os gênios da MPB”, na qual o artista também participou em agosto de 2017, onde o artista homenageado foi Gilberto Gil.

Bittencourt tem em seu currículo 19 exposições solos, 5 coletivas, tem mais de 560 obras catalogadas e vendidas para colecionadores de arte no Brasil e em países como Grécia, Itália, México, Porto Rico, Estados Unidos, Argentina, África do Sul, França e Inglaterra. Além de parcerias com galerias de arte de São Paulo, Rio de Janeiro, Londres e Paris.

Leia também: 63% dos brasileiros apoiam os Direitos Humanos, mas, há descontentamento.

Facebook Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here