A dor e as quatro fases do luto de uma separação

A dor e as quatro fases do luto de uma separação.
Sepração conjugal. Crédito da foto: Pixabay.

Quando falamos sobre luto, imediatamente pensamos em morte, mas há outras vertentes de luto que podemos passar ao longo da vida, por pessoas que estão vivas. Luto remete a perda. Quando vivemos um relacionamento amoroso e ele termina, a separação, a perda, pode nos levar a este estado. Ele possui algumas fases que precisamos reconhecer em nós, para passarmos por este momento de forma menos pesada.

Quando uma separação acontece, nossa mente começa a desenvolver primeiramente a não aceitação da realidade, e muitas vezes o maior momento de dor não se instala nesse primeiro momento, por não entendermos como um fim. Mas existe um momento em que a ficha cai, principalmente se a separação for unilateral. Quando começamos a ver o ex-cônjuge seguindo a vida, começando a se relacionar com outra pessoa, etc. Neste momento começamos a entender e aceitar que de fato o relacionamento acabou, e esse pode ser o momento de maior sofrimento e de raiva também.

Por medo da solidão, carência afetiva, amor mesmo, e até falta de amor próprio, passada a fase da raiva, podemos iniciar um processo de luta. Desenvolver projetos para uma possível volta, apelação, procura por mandingas do tipo “trago seu amor de volta em três dias” (risos), e enfim, tentar por diversos meios uma forma de recuperar a pessoa perdida. Nesta fase, muitos casais podem voltar a ficar juntos, mas isso pode acontecer pelos motivos errados, o medo de ficarem sozinhos por exemplo. É importante ter a clareza de que ninguém consegue ser feliz com outra pessoa, sem antes ser feliz consigo mesmo.

Uma vez que você tentou de tudo, e não obteve sucesso, eis que você chega a fase da depressão, essa é desoladora. Um misto de frustração por ter tido planos e sonhos ao lado de alguém que não deram certo com ego ferido. Pode acontecer de você se sentir inferior a pessoa amada, e isso já indica outros problemas do trato psicológico. Choro compulsivo, dores (físicas) no peito, muita dor de cabeça. A pessoa começa a se questionar sobre uma série de coisas, se sente incapaz. Essa é sem dúvida a pior fase da separação, mas ela pode fazer com que você cresça como ser humano, nela é possível identificar os erros do outro, como também nossos próprios erros. Durante a fase da depressão, é imprescindível o acompanhamento de um médico, psicólogo e até psiquiatra, não tenha medo e nem vergonha de se cuidar.

Passada essa fase sombria, o Sol pode voltar a bater na sua janela e o sorriso pode voltar aos seus lábios. Não há mal que sempre dure! Você passou por todo um processo e chegou vivo até aqui, sua vida continua, o ar continua correndo em seus pulmões e o pulso ainda pulsa, sim, você está vivo! Sobreviveu e existe uma estrada chamada vida te esperando. Essa é a última e melhor fase disso tudo. É quando você aceita, entende, e consegue falar sobre o assunto sem chorar. Você se libertou, chegou a primavera e você pode e deve voltar a sonhar.

É muito importante que tenhamos forças para passar por todas as fases do luto da separação, precisamos sentir todas elas. Muitas pessoas sabotam seus sentimentos, começam a se envolver com outras pessoas sem antes estarem curadas, podendo se machucar ainda mais ou machucar alguém. Outras não tem forças para continuarem sozinhas e acabam voltando para um relacionamento que sabem que não deu certo. Outras vivem de balada para esquecer, é a famosa “sofrência”, mas no outro dia acordam vazias tal qual antes. Não adianta querer preencher o vazio que alguém deixou dentro do seu coração. As pessoas são insubstituíveis. É preciso sarar as dores da alma antes de voltar a sonhar.

A tendência do ser humano é querer caminhar sempre pelo caminho das sombras no intuito de chegar mais rápido, mas é no caminho das pedras que aprendemos como vencer os obstáculos da vida e nos tornamos mais fortes e sábios.

A bondade e o perdão devem ser dois sentimentos que precisamos cultivar em nosso coração diariamente, para não levarmos da vida uma série de mágoas que ao final não nos levam a nada. A busca por desenvolvimento espiritual também pode contribuir ao logo desse processo de luto por separação, pense nisso, fique bem, namastê!

Leia também: Menor suspeito de tráfico de drogas simula infarto ao ser abordado pela Guarda, em Rio Preto.

Facebook Comments