Apostador (a) do litoral de São Paulo perde prêmio da Mega-Sena

Expirou nesta sexta-feira (30), o prazo para que o apostador ou a apostadora que acertou as seis dezenas da Mega-Sena do dia 01 de setembro de 2018, fosse sacar o prêmio no valor de R$22 milhões, a pessoa não se manifestou dentro do prazo e acabou perdendo o direito a premiação.

Sabe-se que o bilhete premiado é da cidade de São Sebastião, localizada no litoral do estado de São Paulo, porém, não é possível identificar o apostador, pois, geralmente ao realizar um jogo em alguma das Loterias da Caixa Econômica Federal, é registrado apenas os números do bilhete, que posteriormente (se premiado) é conferido para a entrega do prêmio. De acordo com um gerente da Casa Lotérica de Ponta Grossa/PR é possível registra o CPF e nome do apostador, porém, isso não garante a entrega do prêmio.

“Você pode colocar o seu nome, seu CPF e assinar o bilhete. Isso não garante que você vai receber o dinheiro, caso seus números sejam sorteados. A apresentação do bilhete é obrigatória, mas pelo menos é possível evitar com que outra pessoa receba o prêmio no seu lugar”, esclarece.”

O prazo para buscar o prêmio da Mega-Sena e outras loterias da Caixa é de 90 dias que começam a ser contados a partir da data do sorteio. Quando o prêmio não é sacado, o valor é transferido para o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies).

De acordo com a Caixa, é mais comum que ganhadores se esqueçam de buscar a premiação quando se trata de valores menores, e em três meses (janeiro a março) de 2018, R$128 milhões em prêmios não foram sacados e já foram transferidos para o Fies.

Um caso parecido ocorreu em 2013, quando um apostador (a) da Mega-Sena, não buscou o prêmio dentro do prazo e acabou perdendo o direito de receber a bolada de R$22.933.056,04, o caso aconteceu em Ponta Grossa, no Paraná.

Close