Billy the Kid, o famoso fora da lei do faroeste americano

Billy the Kid é o apelido de um famoso fora da lei do faroeste americano. Seu nome verdadeiro seria William Henry Bonney. Ele provavelmente teria nascido em 23 de novembro de 1859 em Nova Iorque (embora não haja provas disso) e morreu em 14 de julho de 1881 em Fort Sumner, no Novo México.

A maior parte de sua vida e morte são controversas e obscuras por causa de livros fictícios, biografias conflitantes e relatos imprecisos ou infundados. Conhecido por vários pseudônimos (William Harrison Bonney, Henry Antrim, Kid Antrim, William Antrim), ele era um bandido e assassino do século XIX cujas façanhas tornaram-se lendárias. Ele teria participado da Guerra do Condado de Lincoln. Como bandido, ele se tornou conhecido por ter matado 21 homens, um para cada ano de sua vida. Mas isso não é algo provado, sendo que ele teria sido responsável ‘apenas’ pela morte de nove pessoas. Billy tinha uma personalidade cativante, mas também uma atitude de raiva e grandes habilidades de armas de fogo. Ele foi morto pelo xerife do Condado de Lincoln, Pat Garrett, em Fort Sumner, no Novo México, em 1881, que mais tarde publicou o livro popular “A autêntica vida de Billy the Kid”.

Não há provas de onde e quando nasceu Billy the Kid. É Pat Garrett em seu livro A vida autêntica de Billy the Kid, escrito por Ash Upson (ghostwriter), que escreve que Billy The Kid nasceu sob o nome de William Henry Bonney em Nova York, em 23 de novembro de 1859. Parece que esta data foi inventada por Upson, que teria nascido em 23 de novembro. O nome Bonney era o nome sob o qual Billy the Kid era conhecido na época de sua morte.

Sabe-se muito pouco sobre sua infância. O nome de sua mãe era Catherine McCarty e ela seria uma imigrante irlandesa nascida provavelmente em 1829 que foi para os Estados Unidos fugindo da fome. Sabe-se ainda menos sobre o pai de Billy.

Em 1870, Catherine mudou-se com seus filhos para o Kansas e abriu uma lavanderia. Como ela foi diagnosticada com tuberculose, teve que migrar para uma região mais quente e seca. A família então foi para o Novo México, em Santa Fé, onde Catherine se casou com um garimpeiro, William Antrim, em 1873.

Billy the Kid foi julgado em Mesilla pelo assassinato do xerife Brady e condenado à forca. Em 28 de abril de 1881, enquanto ele estava preso em Lincoln Prison aguardando a sentença, ele acabou conseguindo fugir da prisão. Existem várias versões sobre a fuga. A mais popular é que ele conseguiu uma arma no banheiro externo da prisão. Outro alega que ele conseguiu tirar uma das mãos das algemas e tirar a arma do carcereiro James Bell.

Qualquer que seja a versão, ele derrubou Bell nas escadas da prisão, depois esperou na janela, com um fuzil na mão, a chegada do segundo guarda, Olinger, que foi almoçar em um restaurante.

Essa fuga foi amplamente divulgada em muitos jornais, o que contribuiu para a popularidade do fora da lei e sua lenda. No entanto, em vez de fugir para o México, Kid permaneceu nas proximidades. No início de julho, Pat Garrett descobriu que ele estava em Fort Sumner. Pode ser que essa informação tenha sido dada por Pete Maxwell, o irmão de

Paulita Maxwell, uma provável namorada de Billy, porque ele desaprovava o relacionamento.

Na noite de 14 ou 15 de julho de 1881, Pat Garrett estava na sala de Pete Maxwell (filho de Lucien Maxwell, um fazendeiro) e dois policiais esperavam no terraço. De acordo com uma versão, Billy The Kid entrou na sala com uma pistola sem reconhecer Garrett e disse “Quien es? Quien es” (“Quem está aí?”). De acordo com outra versão, ele estava armado com uma faca. Mal pronunciou essas palavras e Pat Garrett disparou duas vezes. Uma das balas atingiu o coração do garoto e ele morreu imediatamente. Billy the Kid está enterrado no cemitério militar de Fort Sumner.

Close