Dia Mundial de Combate à AIDS

O Dia Mundial de Combate à AIDS, que acontece em 1 dezembro, é um momento de sensibilização para a doença e de lembrar da importância do exame.

A data nasceu em 1988, na Cúpula Mundial de Ministros da Saúde em Londres, Inglaterra. Eles concordaram que tal dia destacaria a importância e gravidade da prevenção à AIDS e que cada país deve ser responsável por garantir o acesso universal ao tratamento, cuidados e apoio a todas as pessoas que vivem com HIV ou AIDS.

O ano 2018 marca o 30º aniversário do primeiro Dia Mundial do Combate à Aids. A UNAIDS anunciou que o tema deste ano será “Conheça seu estado sorológico para o HIV”.

De acordo com o relatório de dados do UNAIDS 2018, Cerca de 940.000 pessoas em todo o mundo morreram de doenças relacionadas à AIDS em 2017. Também em 2017, cerca de 36,9 milhões de pessoas em todo o mundo viviam com o HIV.

No nível nacional, de acordo com o Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais, atualmente, 75% das pessoas vivem com o vírus e conhecem o seu estado sorológico. Ainda de acordo com o Departamento, 92% das pessoas em tratamento já atingiram o estado de estarem indetectáveis. Nós convidamos você a consultar os recursos e informações fornecidas nesta página. Eles podem ajudá-lo em seu trabalho e nas iniciativas que você irá apresentar para marcar esta ocasião especial.

A sigla AIDS vem do inglês Acquired immunodefiecience syndrome, que em português significa “Síndrome da Imunodeficiência Adquirida”.

No Brasil, os governos municipais, estaduais e federal promovem campanhas que possibilitam a realização do exame de forma gratuita e sigilosa, além de prático e rápido. Informe-se na sua cidade e faça o teste. Previna-se!

Em São José do Rio Preto/SP existe o Centro Municipal de Prevenção e Diagnóstico em DST/Aids, que oferece por meio do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) e da Unidade Itinerante de Redução de Danos (URDI-caminhão), testagem convencional e rápida para HIV, Sífilis e Hepatites B e C. O serviço também é formado pelos programas de prevenção POPV e POPG que realizam ações em campo junto a diferentes públicos com o objetivo de diminuir vulnerabilidades ao HIV/AIDS/Hepatites Virais.

Endereço
Rua Ipiranga, 291 – Vila Esplanada

Horários de Funcionamento
Segunda a sexta-feira, das 8h às 17h

Contato
Telefone: (17) 3211 1410

Confira abaixo os serviços prestados pelo Centro Municipal de Prevenção e Diagnóstico em DST/Aids de Rio Preto

Redução de danos

– Atendimento de usuários de drogas em geral, usuários de drogas injetáveis e suas redes de interação social na ótica da política de Redução de Danos
– Realização de oficinas e atendimentos individuais em campo
– Disponibilização de insumos de prevenção (preservativos masculinos e femininos, gel)
– Disponibilização de insumos de prevenção de Redução de Danos ampliados, atendendo às necessidades de cada usuário (kit de redução de danos, protetor labial, copos de água para usuários de crack, papel post-it e material educativo)
– Capacitações, palestras e oficinas em DST/Aids/Redução de Danos para  profissionais da saúde, educação e assistência
– Oferecimento de testagem em campo mediante parceria com o caminhão

Cidadania

– Ações de prevenção em DST/HIV/Aids e Hepatites junto às profissionais do sexo: mulheres, travestis e garotos de programa
– Disponibilização de insumos de prevenção (preservativos masculino e feminino, gel lubrificante e kit de redução de danos) e material educativo
– Aproximação desta população dos equipamentos do município, de forma a promover cidadania
– Participação ativa no Ambulatório de Saúde T, visando aproximar as travestis dos serviços de saúde
– Oferecimento de testagem em campo mediante parceria com o caminhão

LGBT

– Em parceria com a ONG GADA, atende o segmento de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, contribuindo para redução de vulnerabilidades às DST/Aids
– Realização de ações que contribuam para a diminuição das expressões de homofobia institucional, social e individual
– Promoção de políticas e ações intersetoriais para enfrentamento das DST/Aids que garantam a inclusão das distintas realidades vivenciadas por gays e outros HSH
– Coordenação de projetos e ações em  eventos que promovam a integração e visibilidades dessas populações

POP G: ações com adolescentes, jovens, adultos e idosos do sexo masculino e feminino
– Ações educativas em DST/HIV/Aids/Hepatites Virais/Redução de Danos em campo
– Realização de Palestras, Sipats e Stands mediante agendamento prévio
– Formação de Multiplicadores na temática DST/HIV/Hepatites Virais
– Ações diversificadas em datas temáticas como: Carnaval, Outubro Rosa, Novembro Azul,  Dia Mundial de Luta Contra a AIDS
– Implantação de Bancos de Preservativos
– Oferecimento de testagem em campo mediante parceria com o caminhão
– Matriciamento e realização de ações conjuntas em DST/AIDS/Hepatites Virais/Redução de Danos na Atenção Básica

 

Close