Mônica Sardinha Matos, de 29 anos, registrou um boletim de ocorrência junto á Polícia Civil nesta segunda-feira (12), após segundo ela, a filha de 2 anos ter fugido da escola e ter sido encontrada na rua sozinha por uma vizinha, na última sexta-feira (09), em Ribeirão Preto (SP).

A escola nega a acusação e alega que entregou a criança para a irmã de 8 anos, na portaria da escola.

A mãe da criança não aceitou a alegação da escola e voltou a acusar os funcionários por serem negligentes com sua filha. Nesta terça-feira (13), ela se dirigiu até a Secretaria de Educação e cancelou a matricula da filha na escola. A minha filha fugiu da escola e a escola não sentiu falta dela. Meu pensamento era de que ela estava segura na escola, mas não estava. Ela saiu sem ninguém ver e ninguém sentiu falta. Ela estava sozinha na rua. Nunca imaginei que ela fosse estar na rua”, disse Mônica ao G1.

  Partículas de queimada são encontradas em água de chuva preta em São Paulo

A Secretaria de Educação de Ribeirão Preto, se manifestou por meio de nota e disse que os fatos serão apurados “profundamente”.

Edelson Rodrigues, de 26 anos disse ter medo do que poderia ter acontecido com sua filha após a fuga, segundo ele, ela poderia ter sido atropelada, ou sequestrada na rua. Foi um “erro muito grave” afirmou o pai.

Embora o BO tenha sido registrado na última segunda-feira (12), a Polícia Civil ainda não iniciou o processo de investigação do caso.

Se for provada a negligência por parte da escola, os funcionários responsáveis devem responder pelo crime de abandono de incapaz, punível com detenção de 6 meses a 3 anos.

Facebook Comments