14 Junho 2024

PagBank do Brasil supera expectativas com lucro recorrente aumentando 33%

2 min read

A empresa brasileira de pagamentos PagBank superou as expectativas dos analistas na quinta-feira, com um aumento de 33% no lucro líquido recorrente do primeiro trimestre, devido aos investimentos da empresa em contratações e marketing, que resultaram em maior receita.

A PagBank registrou um lucro líquido recorrente de 522 milhões de reais (US$ 101,31 milhões) no trimestre encerrado em março, um aumento em relação aos 392 milhões de reais no ano anterior, enquanto os analistas consultados pela LSEG esperavam 475,2 milhões de reais.

A receita líquida aumentou 15%, para 4,3 bilhões de reais, também acima das estimativas de 4 bilhões de reais, com o volume total de pagamentos (TPV) subindo 27%.

O CEO Alexandre Magnani disse aos jornalistas que o aumento nos pagamentos ocorreu em parte devido a uma série de novas contratações pela PagBank nos últimos trimestres para sua equipe de vendas e esforços de marketing mais amplos.

“Esse investimento em marketing e equipe de vendas aumenta um pouco as despesas”, disse o CFO Artur Schunck. “Mas o aumento no TPV compensa isso”, acrescentou, enfatizando o foco da empresa na disciplina de custos.

As despesas operacionais, que incluem pessoal, marketing e publicidade, aumentaram quase 21% no trimestre.

Os resultados da PagBank “sugerem uma perspectiva positiva” para o restante do ano, escreveram os analistas do Santander em uma nota aos clientes, embora tenham expressado “preocupações especialmente relacionadas ao aumento no número de vendedores.”

A PagBank também manteve sua orientação para o ano inteiro na quinta-feira, com Schunck dizendo que a empresa teve um desempenho melhor do que o esperado, mas que era muito cedo para fazer quaisquer mudanças na perspectiva.

No seu negócio de serviços financeiros, a carteira de crédito da PagBank totalizou 2,7 bilhões de reais no final de março, estável em relação ao ano anterior, mas subindo cerca de 8% em relação a dezembro.

A empresa agora espera retomar a oferta de linhas de crédito sem garantia gradualmente na segunda metade do ano, de acordo com executivos, após pausar o segmento para se concentrar em produtos garantidos, como empréstimos consignados.

A taxa de inadimplência caiu para 4,5%, de 17,9% no ano anterior e 7,5% no quarto trimestre.

Analistas do Citi e Evercore também citaram uma menor taxa de impostos como contribuinte para o superávit no lucro líquido.